Descubra o que não te ensinaram sobre planejamento financeiro para compra de imóveis

Postado em em 27/11/2018 às 18h00

planejamento-financeiro.jpg

Descubra o que não te ensinaram sobre planejamento financeiro para compra de imóveis


 

Para encurtar a estrada com destino a compra do primeiro imóvel é imprescindível montar um planejamento financeiro eficiente.

O problema é que muita gente passa longe de ter as finanças pessoais controladas por não levar a sério os próprios sonhos.

Diante disso, nós escrevemos esse artigo para ajudar você a não desistir do seu sonho de comprar a casa própria. Nele ensinamos como montar um planejamento financeiro pessoal em apenas 9 passos.

Aplicando os princípios que ensinamos aqui, você poderá realizar qualquer objetivo que um dia tenha ficado para trás por conta de problemas financeiros.

Sem mais delongas, leia este artigo até o final e descubra como organizar as finanças para comprar seu primeiro imóvel.

9 passos do planejamento financeiro para comprar o primeiro imóvel

Primeiro passo: esteja atento às questões pessoais

A primeira atitude que deve ser tomada por alguém que deseja realizar um planejamento financeiro para comprar seu primeiro imóvel é identificar em que fase da vida está. Para isso, é comum organizar as pessoas em 3 perfis distintos:

  1. recém-casados;

  2. quem ainda mora com os pais; e

  3. profissionais em início de carreira.

Aqueles que estão no time dos recém-casados têm o bônus de dispor da renda e economias de duas pessoas, e estas podem ser combinadas para a compra do imóvel, independente do regime do matrimônio - comunhão universal de bens, separação total ou parcial.

Por outro lado, apesar do orçamento reduzido em comparação com os casados, os solteiros que moram com os pais têm as despesas diminuídas e não precisam se preocupar com contas onerosas como aluguel, por exemplo.

Eles ainda podem encarar a mudança de endereço como um objetivo sem tanta urgência e ganhar tempo para juntar uma graninha extra.

Talvez por esses motivos, esse seja o perfil que as pessoas julguem apresentar as melhores condições para poupar o dinheiro pretendido.

Finalmente, o nosso terceiro perfil sugerido é, sem dúvidas, o que encontra os desafios mais duros no processo de planejamento orçamentário.

Isso graças à toda a instabilidade típica em começo de carreira. Esses profissionais não sabem ao certo se vão:

  • se manter no emprego, correndo o risco de perder a renda disponível para quitar as parcelas do imóvel comprado; ou

  • precisar mudar de cidade repentinamente, o que geraria um custo extra com uma nova moradia.

É por conta dessas questões que discutimos acima, que ter conhecimento sobre em que fase da vida está é imprescindível para montar seu planejamento financeiro para comprar seu primeiro imóvel.

Segundo passo: comece a acompanhar as finanças

O segundo passo é monitorar sua situação financeira atual: no final do mês, suas contas fecham com saldo positivo ou negativo? O objetivo dessa etapa é descobrir como o seu dinheiro têm sido usado ao longo dos meses.

Para isso, é ideal anotar todos os gastos realizados no mês. Anote tudo mesmo, desde as guloseimas e o cafezinho no caminho para o trabalho, até os gastos essenciais como moradia, alimentação, transporte e lazer.

Para um diagnóstico da situação, é aconselhável fazer os registros por 1 mês, no caso de quem possui renda fixa ou por pelo menos 3 meses para quem possui renda variável. Essas informações podem ser registradas em um bloco de notas, planilhas, aplicativos, etc.

A ideia é que, depois de feito esse raio-x do orçamento, você continue acompanhando a movimentação do seu dinheiro todos os meses.

Para tornar essa tarefa mais fácil, você pode utilizar a nossa planilha financeira para economizar e comprar um imóvel. Ela está disponível para download gratuito, basta clicar no link e aproveitar.


Acompanhando o orçamento todos os meses, você fica consciente para onde vai o seu dinheiro, o que torna mais fácil identificar os custos que podem ser cortados.

Terceiro passo: estabeleça metas financeiras alcançáveis

E por falar em cortar custos, agora que você já mapeou o seu orçamento, estabeleça metas financeiras de curto, médio e longo prazo.

Para criar metas eficientes, é importante ter objetivos claros; afinal, como diz o ditado popular: “quem não sabe o que quer acaba perdendo o que tem”.

Você já tem um objetivo específico: comprar o seu primeiro imóvel. Mas até chegar no valor do imóvel, vá traçando metas de poupança diferentes com o passar do tempo.

Por exemplo, você pode começar poupando 10% do seu orçamento para pegar o ritmo da coisa. Depois de 3 meses, você pode passar a poupar 15% e cortar 5% dos custos com itens de beleza e assim por diante.

Para manter a disciplina, não se esqueça de ter metas de longo prazo também, elas ajudam, inclusive, a manter a disciplina no cumprimento das metas de curto e médio prazo.

Se imagine com o objetivo de poupar R$ 5.400,00 em um ano. Para isso você precisaria guardar R$ 450,00 por mês. Se no terceiro mês, por algum infortúnio, você só consegue poupar parte desse valor, o que faltou para alcançar a meta deverá ser repassado para os outros meses e assim por diante. Entendeu?

Quarto passo: NÃO poupe o que sobrar

É isso mesmo que você leu, nada de poupar o que sobrar.

Se você está atento às nossas dicas até aqui, já sabe que você precisa organizar as finanças de tal forma que gaste o que sobrar e não o contrário. Mas isso só é possível se você tiver metas e objetivos claros.

Determine uma porcentagem do seu salário para ser poupada todos os meses para a compra do seu imóvel, esse valor deve ser incluído na lista das suas despesas fixas. Trate-o como outras contas essenciais, como água, luz, internet, etc.

Economistas recomendam poupar mensalmente uma quantia equivalente a 10% ou 15% do salário, para os casados (com filhos, especialmente), e, para os solteiros, até 30% da renda mensal.

Quem pretende comprar um imóvel precisa saber poupar e viver com menos do que ganha, afinal, precisará de reservas financeiras para dar entrada no imóvel e comprometer parte do orçamento mensal com o pagamento das parcelas durante alguns anos.

Quinto passo: economize o máximo possível

Para conseguir continuar pagando as contas do mês e comprar um imóvel sem se endividar, é preciso economizar todo o possível.

Por isso, considere primeiro cortar gastos superficiais. Comece trocando o almoço em restaurante por levar comida de casa, a ida ao trabalho de carro por carona com os colegas ou transporte público, os passeios caros por programações mais em conta e igualmente divertidas, etc.

Com um pouquinho de criatividade e disposição, tudo fica ainda mais fácil.

Fique atento também ao uso do cartão de crédito e cheque especial, os juros gerados por esses dois minam a vida financeira de qualquer pessoa.

Prefira fazer suas compras à vista, que além de te ajudar a não se endividar, pode garantir bons descontos em alguns estabelecimentos.

E se mesmo com toda essa disciplina o orçamento ainda parecer apertado, considere rever as despesas fixas, porque até elas podem esconder desperdícios que você nunca reparou.

Adote hábitos saudáveis e que são parceiros no processo de educação financeira, tais como:

  • fazer mercado com uma lista de compras, em vez de encher o carrinho aleatoriamente;

  • reveja os pacotes de telefonia móvel, internet e tv a cabo que você contratou, mas não usa tanto. Troque-os por planos mais em conta e condizentes com o sua real demanda;

  • dê atenção especial ao consumo de água e energia elétrica, porque economizar esses bens é essencial para o seu bolso e para a sustentabilidade na natureza.

Com essas simples mudanças de hábitos, você perceberá os resultados a médio e longo prazo e verá aquelas moedinhas que sobram no fim do mês se multiplicando.

Sexto passo: movimente e multiplique o seu dinheiro

Você que chegou até aqui neste artigo já deve ter reparado a quantidade de vezes que o conselho “poupe dinheiro” foi repetido até agora. Mas a nossa insistência não é sem razão.

Agora, conte-nos uma coisa: onde você pretende guardar o montante de dinheiro que vai ser poupado nos próximos meses? Debaixo do colchão? No porquinho na sua estante? Em uma poupança?

Brincadeiras à parte, a nossa dica é: multiplique esse dinheiro poupado com aplicações em fundos de investimento financeiro. Uma boa opção para quem quer um investimento com baixo risco e rendimento considerável, é investir em títulos de dívidas públicas.

Mais uma opção é gerar renda extra com trabalhos como freelancer ou empreendendo em alguma área de seu interesse.

Sétimo passo: negocie dívidas antigas

Nós imaginamos que você não queira ficar mais dez anos esperando que todas as dicas que demos anteriormente se transformem no dinheiro que você precisa para comprar um apartamento à vista, não é mesmo?

E nós também sabemos que por isso você muito provavelmente, assim como a maioria dos brasileiros, está considerando um financiamento imobiliário para comprar seu imóvel.

Saiba que não há nada de errado nisso e essa seção do texto foi escrita especialmente para você que está com esse pensamento.

Ao solicitar crédito para financiamento em uma agência bancária, o seu histórico de dívidas vai ser consultado. Se for encontrada alguma irregularidade em seu nome, é muito provável que você tenha a solicitação negada.

Por isso, evite este tipo de frustração e, caso tenha dívidas em seu nome, procure quitá-las o quanto antes.

Aproveita tudo que você aprendeu aqui sobre planejamento das finanças pessoais e coloque o pagamento das dívidas como um objetivo com metas urgentes.

Comece quitando as pequenas dívidas e depois tente negociar as maiores.

O importante é deixar o nome limpo outra vez e livrar-se deste impedimento para a realização do seu sonho da casa própria.

Oitavo passo: fique de olho na parcela do financiamento

Decidido a comprar seu primeiro imóvel financiado? Então consulte a sua planilha de controle orçamentário e calcule o valor das prestações que você será capaz de pagar sem comprometer as suas finanças.

Essa é uma etapa muito importante neste tipo de planejamento financeiro, porque, antes, você precisa saber quanto tem disponível para pagamento das parcelas, para só depois ir em busca de um imóvel que corresponda à sua realidade.

E se você quiser ajuda para descobrir quais os tipos de imóveis financiar de acordo com a sua renda, baixe o nosso whitepaper gratuito, clicando aqui.

E para ficar por dentro de tudo sobre o financiamento de imóveis, baixe gratuitamente o nosso eBook: O que você precisa saber para financiar um imóvel.

Nono passo: esteja atento aos gastos extras na compra do imóvel

Além do cálculo das parcelas do financiamento, na etapa de planejamento financeiro, devem ser considerados outros gastos que envolvem a compra de um imóvel.

Os principais deles são os documentos e tributos pagos ao longo da compra e as despesas domésticas que serão assumidas no novo endereço.

Muita gente negligencia tomar nota desses pequenos detalhes, porque se distrai com  despesas maiores como o valor da entrada do financiamento ou mesmo as prestações, mas essa é justamente a postura de quem se endivida no processo de compra do imóvel.

Para te ajudar a não cometer o mesmo erro, acompanhe as nossas próximas dicas.

  • Documentos e impostos da compra e financiamento

Além dos custos da compra propriamente dita e com a mudança, você vai se deparar com despesas com escritura e alguns impostos.

Os principais deles são o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), registro de imóvel, INCC, corretagem e juros de obras (no caso de imóvel comprado na planta).

Para entender melhor cada uma dessas despesas extras, vale a pena conferir um outro artigo postado aqui no blog, onde explicamos melhor cada um desses gastos envolvidos na compra de imóveis.

  • Despesas domésticas

Consulte o custo de vida na região onde você pretende comprar sua nova casa ou apartamento e programe-se para os novos valores nas contas de água, luz, telefone, condomínio, internet, etc.

Faça isso porque, além dos 30% da sua renda fixa que estarão comprometidos mensalmente com o pagamento das parcelas do financiamento, você terá essas outras despesas. Por isso, todo o planejamento é pouco!

Na hora de comprar seu primeiro imóvel…

Você terá plenas condições de comprar seu primeiro imóvel ao trilhar o caminho que sugerimos.

Como você pôde observar, controle financeiro pessoal requer esforço e dedicação.

Lembre-se que os custos do financiamento de um imóvel vão participar do seu orçamento por algumas décadas, por isso, ao comprar, escolha uma construtora especializada e com credibilidade no mercado para evitar dores de cabeça.

E para continuar acertando nas escolhas, pesquise os imóveis sem pressa e escolha aquele que melhor se adeque ao seu gosto, porque, agora, orçamento não é mais um problema para você.

Conheça a Nassal Construtora

A carreira consolidada da Nassal é representada por seus apartamentos de qualidade e pelas ações que são desenvolvidas junto aos clientes e colaboradores.

A maior construtora de Sergipe e uma das 28 maiores do país, eleita em 2017 no Ranking ITC, possui práticas de gestão modernas, sendo uma referência no mercado regional pela qualidade dos empreendimentos e segurança nas entregas.

Empresa 100% sergipana, a Nassal, em 2018, completa 35 anos de atuação, contribuindo para o desenvolvimento de Aracaju, Socorro, São Cristóvão, Barra dos Coqueiros e, mais recentemente, do município de Lagarto.

Conheça os nossos empreendimentos e fale com um de nossos consultores!

 

 

 


 

Política de Privacidade 2018 Copyright - Todos os direitos reservados.